Arquivo mensal: maio 2007

TUMBU

Sei que vocês, leitores de pouca fé no empreendimento humano, não acreditavam, mas graças a Deus ainda existem no mundo editoras que investem no talento e, mais importante, não têm pena de desperdiçar dinheiro em vão. Fato é que, porque Santo Homero dos Editores Desassisados me guarda, chego a este meu sexto livro. Razão bastante […]

BRAVO, FORTE, FILHO DO NORTE (5)

Liguei a esteira na estonteante velocidade de um centímetro por semana e passei nada menos que duzentos e quarenta segundos andando sobre ela, sem descanso. E parei, não pelo princípio de ataque cardíaco ou pelo derrame que sentia se aproximar, mas simplesmente porque, homem consciencioso, quis salvar algumas vidas. Afinal, com os shorts apertados que […]

BRAVO, FORTE, FILHO DO NORTE (4)

Entrei na sala e me apresentei a Rosicléia, a qual, se não pertencia ao astro de onde provinha o outro professor, certamente nascera no mesmo sistema planetário. Só que, feminina, era um pouco mais larga, um tantinho mais alta e tinha mais pêlos no rosto. Ou isso, ou possuía ascendência teuto-portuguesa, não sei. Entreguei trêmulo […]

BRAVO, FORTE, FILHO DO NORTE (3)

A última vez que havia flexionado um músculo tinha sido para cortá-lo em pedaços e atirá-lo no feijão, juntamente com outras carnes bovinas. Da mesma forma, havia levado minha mão ao solo apenas uma vez nesta década e, ainda assim, para apanhar uma cédula de cinqüenta reais — o que me rendeu uma dor na […]

BRAVO, FORTE, FILHO DO NORTE (2)

O mais perto que havia chegado da malhação até aquele dia tinha sido dar uns cascudos num Judas no Sábado de Aleluia. Mas, entrando na masmorra, digo, no recinto destinado aos exercícios, pude sentir, de cara, os efeitos benéficos do lugar: ao pagar a matrícula, meu bolso ficou, imediatamente, pelo menos duzentos gramas mais magro. […]

BRAVO, FORTE, FILHO DO NORTE (1)

Nunca fui um fã da atividade física. Considero, por exemplo, o levantamento de romances russos o maior esforço que sou capaz de realizar. Tampouco a coordenação motora é o meu forte. Gesticulando, apresento uma desenvoltura de causar vergonha ao Stephen Hawking. No entanto, ao contrário do que minha capacidade de raciocínio dá a entender, não […]

NO ESCRITÓRIO DE PATENTES

INVENTOR: Bom dia. Pra registrar idéias é aqui? FUNCIONÁRIO: (descontraidíssimo) Não tenho a menor idéia. Ha, ha, ha! Essa foi ótima. INVENTOR: (seriíssimo) Ahn? FUNCIONÁRIO: Desculpe. É a falta de alguém pra dialogar. A última idéia que registraram por aqui foi a corrupção no Brasil. Ha, ha! INVENTOR: ??? FUNCIONÁRIO: (limpando a garganta) Perdão. Em […]