O MITO DA CRIAÇÃO SEGUNDO CHUCK NORRIS (CAPÍTULO 1)

No princípio destruiu Chuck os céus e a terra. A terra era sem forma e vazia, porque Chuck dera um golpe de kick boxing nela e com uma cotovelada mandara as trevas para longe, arrastando o pobre Espírito de Deus, que pairava sobre a face das águas. E Chuck estapeou a face das águas e afogou o Espírito de Deus no abismo, para ele deixar de ser besta.

E disse Chuck: “Faça-se a luz, motherfucker”, e a luz, que é ajuizada, se fez. E viu Chuck que a luz era boa para levar umas porradas, e saiu desferindo cascudos em fótons, prótons, elétrons e demais partículas subatômicas que apareciam pela frente. E com um coice apartou a luz das trevas; e Chuck chamou à luz Fucking Dia, e às trevas Fucking Noite.

E sobreveio a tarde e Chuck deu alguns bofetões nela também. E depois a manhã, mas a manhã já entrou de mãos para cima e dizendo que se fantasiaria de Carmen Miranda, se ajoelharia no milho ou o que fosse necessário, mas por favor não tocasse nela. E foi o primeiro plim-plim.

E disse Chuck: “Faça-se logo um firmamento entre as águas e aparte ele umas das outras, aproveitando que eu tô calmo, e que um saco de areia penda do firmamento para quando eu tiver vontade de treinar”. E criou Chuck o firmamento e com um soco separou as águas que estão embaixo do firmamento daquelas que estão em cima. E assim se fez, porque é ele que manda mesmo e acabou-se.

E sobreveio a tarde, na ponta dos pés, dessa vez, para não apanhar de novo. Mas Chuck percebeu sua entrada e lhe deu dois pescoções. E depois a manhã, que repetiu os rogos de antes, mas Chuck chamou a manhã de mulherzinha e chutou sete vezes sua bunda para ela deixar de frescura. E foi o segundo plim-plim.

E disse Chuck: “Ajuntem-se as águas que estão debaixo dos céus num mesmo lugar, antes que eu perca a paciência, e apareça o elemento seco, se for homem”. E assim se fez. E Chuck chamou o elemento seco de Terra Son of a Bitch; e ao ajuntamento das águas, Mares You Fucking Fuckers. E viu Chuck que isso era mais ou menos bom, porque bom mesmo seria usar uma bazuca para explodir um quarteirão inteiro do Bronx.

E disse Chuck: “Produza a terra relva, planta que dê semente e árvore frutífera que dê fruto conforme a sua espécie, para que eu possa me esconder entre as plantas e atacar vietnamitas e infiltrar dinamites nos troncos das árvores, e escavar buracos na relva para preenchê-los de minas e estacas perfurantes”. E assim foi feito, enquanto Chuck metralhava de uma vez o coitado do Espírito de Deus, que ressurgia semivivo, arfando e vomitando água à beira do abismo.

E sobreveio a tarde, de óculos escuros e dizendo que era a Vera Fischer, mas Chuck logo percebeu o engodo e sacou do nunchaku, quebrando cinco ou seis vértebras da tarde. E depois a manhã, que chegou ajoelhada, com uma réstia de alhos ao redor do pescoço e um crucifixo na mão, chorando e se lamentando. Mas Chuck não teve pena: rodou a manhã pelos cabelos, arrebentando-a de cabeça contra o chão e ainda pisou nos pés do crepúsculo, só de sacanagem. E foi o terceiro plim-plim.

um comentário

  1. Que mané Norman Mailer narrando Cassuis Clay X George Foreman, o que, rapaz?

    Esta luta de Chuck Norris contra o Universo só encontra equivalanete nas batalhas travadas entre Rolifield X Todo Duro.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: