Arquivo mensal: fevereiro 2008

PROFISSIONAL DA ONOMATOPÉIA

— E você faz o quê? — Eu? Sou profissional da onomatopéia. — Ahn? — Onomatopéia. Eu trabalho com sons. — Como assim? — Assim. Fluct-pu. — Hein? — Fluct-pu. “Assim”. Também faço “talvez”, “todavia” e “contudo”, olha aí: plocting, blabunz e digdag. — Tá tirando onda comigo, rapaz? — Chuá, chuá. — Olha que […]

OS 10 CONCEITOS-CHAVE DO CONSERVADOR MODERNO

Como o capitalismo saiu vitorioso da Guerra Fria e o comunismo atualmente só existe em lugares obscuros como Cuba, Vietnã e a cabeça de Diogo Mainardi, a moda brasileira mais recente é se tornar conservador. Tem muita gente lendo e, em alguns poucos casos, até entendendo Burke, Chesterton, Friedman e Johnson. Em compensação, há também […]

MEU PLUTÃO BRASILEIRO

(Texto escrito originalmente em 25/08/2006. Afinal, continuo aqui no Recife, em árdua luta contra ostras, lagostas e crustáceos em geral. Quem quiser me ajudar neste momento de dor que atravesso, favor enviar uma caixa de single malt.) Semana passada, uma notícia me deixou atólico e, pior, fez com que me sentisse um ignorante por não […]

O SUBPENSAMENTO VIVO DE MARCONI LEAL (8)

Após meia hora de conversa com um esquerdista, tenho certeza de que sou pelo menos social-democrata. Após meia hora de conversa com um direitista, tenho certeza de que sou pelo menos stalinista. ……. Hobbes que me desculpe, mas após observar o pensamento de meus contemporâneos, cheguei à seguinte conclusão: o homem é o jumento do […]

AS DEZ VERDADES SUBLIMES A RESPEITO DE CAETANO VELOSO

É provável que vocês, leitores de vida social intensa, não tenham visto. Mas eu, cujas saídas mais empolgantes ultimamente têm sido ir do quarto ao térreo de elevador, assisti do começo ao fim ao “Som Brasil” com Caetano Veloso (atenção: este texto foi publicado no Sopa de Tamanco há cerca de um mês; ainda estou […]

GUERRA

Meu pacifismo tem um limite: a leitura de algumas páginas de Heródoto ou Plutarco. Bom, confesso que este último também me dá uma vontade irresistível de enrolar um lençol ao redor do corpo, colocar algumas folhas de louro no cabelo e descair a mão com um gritinho, dizendo: — Afe, César! Que aqueduto grande você […]

IRONIA PELOS DIAS QUE CORREM

— Sr. Onofre, eu sou o agente Jonas e esse aqui o agente Nunes. Nós estamos entrevistando os moradores das redondezas, porque houve uma ironia hedionda no bairro ontem à noite e procuramos o culpado. O senhor reconhece esse homem aqui no retrato? — Voltaire? Digo, vou teire que pensar um pouco… Essa peruca, esse […]